Galeria Jaqueline Martins abre espaço físico em Bruxelas

Galeria Jaqueline Martins abre espaço físico em Bruxelas

Novo espaço físico em Bruxelas será inaugurado em 17 de Outubro com exposição individual do artista Hudinilson Jr.

 

Galeria paulistana fundada em 2011 terá internacionalização de seus artistas como principal estratégia.

A Galeria Jaqueline Martins, espaço de pesquisa, documentação e exibição de produção artística contemporânea fundada em São Paulo, tem o prazer de anunciar a abertura de seu primeiro espaço físico fora do Brasil. A filial terá sede em Bruxelas, Bélgica, escolhida por sua localização estratégica na Europa e pela forte tradição às práticas conceituais.

Yuri Oliveira será o sócio de Jaqueline Martins no novo projeto. Com ampla experiência no mercado internacional, onde atua desde 2007, Yuri trabalhou com grandes nomes da arte internacional, desenvolvendo projetos e exposições entre a Europa, América Latina e América do Norte.

“Estou muito feliz com a chegada de Yuri. Será um prazer desenvolver e trabalhar juntos novos projetos” diz Jaqueline Martins.

“Sempre admirei a Galeria Jaqueline Martins por sua originalidade e notável programa. É uma honra me associar à Jaqueline neste momento tão importante de expansão e presença internacional. Uma missão particularmente desafiadora e estimulante nas circunstâncias atuais,” diz Yuri Oliveira.

Os galeristas consideram que o momento que estamos vivenciando precisa ser respeitado, mas assim como a história de alguns artistas no programa da galeria, é preciso continuar trabalhando para transformar utopias em ação e permanecer motivados existencialmente.

Mantendo como diretriz principal o estímulo às práticas artísticas caracterizadas pelo conceitualismo, e por sua postura crítica e muitas vezes subversiva, a Galeria Jaqueline Martins vem desenvolvendo desde a sua inauguração em 2011 um programa de investigação em torno das produções artísticas realizadas durante o período da ditadura no Brasil, em particular nas décadas de 1970 e 80. Ao integrar práticas que confrontam a cena contemporânea em seu programa de exposições, a Galeria contempla revitalizar o debate que compreende ações artísticas como zona de contato
para o exercício de mudanças estéticas, sociais e políticas.

Desde a sua abertura, a Galeria sempre teve a internacionalização de seus artistas e a Europa no centro de suas decisões. Participa das principais feiras internacionais do mercado de arte com Frieze London, Frieze New York, Art Basel e Arco Madrid. Seus artistas estão presentes nas principais coleções institucionais europeias como Tate Modern (Londres), Reina Sofia (Madrid), Migros Museum (Zurich), Castello di Rivoli (Turim) e Verbund Sammlung (Viena). Atualmente, tem exposição individual dos artistas Adriano Amaral em Rotterdam e Charbel Joseph H. Boutros em Gent, Bélgica.

A relação histórica entre artistas e museus em torno da produção de arte conceitual foi um dos motivos naturais para abrir um espaço físico na Europa, segundo a fundadora Jaqueline Martins. “Entre os muitos privilégios de estar em Bruxelas está a facilidade de deslocamento para cidades igualmente importantes para o desenvolvimento do nosso mercado, como Paris, Londres e Amsterdam,” explica.

A galeria de Bruxelas abre as suas portas com exposição de Hudinilson Jr, um dos principais artistas brasileiros de sua geração, não só por sua produção que influenciou a cena artística brasileira entre as décadas de 1970 e 2000, mas pelo seu papel ativo em coletivos e exposições experimentais. No final da década de 70, o artista explorou a xerografia, técnica pela qual ficou conhecido.

A segunda exposição em Bruxelas está programada para o final de janeiro 2021, com a artista Ana Mazzei, que ganha individual também no espaço de São Paulo em 26 de setembro deste ano. Para esta exposição está prevista a colaboração de artistas de teatro, música e dança, com performances e happenings acontecendo de forma silenciosa e se revelando na documentação fotográfica da exposição.

Em abril 2021, Bruxelas irá receber obras da artista Lydia Okumura. A exposição será dividida em dois momentos: no primeiro mês como individual com pinturas dos anos 80 e instalações dos anos 70. A partir de maio, a exposição será reconfigurada para dialogar com fotógrafos modernistas.

Galeria Jaqueline Martins – Brussels
Rue aux Laines, 14
1000, Brussels
Tel: + 32 494 49 41 65
Terça à Sexta (10 às 19hrs) / Sábados (12 às 18hrs).

maxwelladmin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *