Acervo do Centro de Memória Bunge relembra os 70 anos da televisão no Brasil

Acervo do Centro de Memória Bunge relembra os 70 anos da televisão no Brasil
Primeira transmissão aconteceu em 1950 na TV Tupi com publicidade de empresas, como a S.A. Moinho Santista, antiga empresa Bunge

Francisco de Assis Chateaubriand, empresário das telecomunicações que já presidia o Diário dos Associados na época, inaugurou no dia 18 de setembro de 1950 a TV Tupi em São Paulo, exatamente às 22h. TV na TABA, apresentado por Homero Silva, foi a primeira transmissão televisiva no País e teve participação de grandes nomes como Hebe Camargo e Lima Duarte.

A iniciativa se deu após a visita do empresário aos escritórios da Radio Corporation of America, em Nova York, quando teve seu primeiro contato com estúdios de TV anos antes. Para o plano de Chateaubriand dar certo, foi necessário o investimento de empresas da época com patrocínios de um ano de publicidade pagos antecipadamente. Entre elas, estava a S.A. Moinho Santista, antiga empresa Bunge. Os aportes feitos pelas corporações auxiliaram na importação de 300 televisores para que o público pudesse acompanhar as transmissões.
O meio de comunicação que era considerado artigo de luxo na época, começou a ganhar novas emissoras conhecidas até hoje como TV Record e SBT. As transmissões eram em preto e branco e a maioria dos programas era realizado ao vivo por conta da falta de estrutura. Logo, os telejornais e novelas se tornaram populares e programas como Sítio do Pica Pau Amarelo e Repórter Esso ganharam destaque na história da televisão brasileira.

Parte da história da TV, bem como documentos textuais, iconográficos, tridimensionais e audiovisuais, que recontam a memória empresarial do País, podem ser encontrados no Acervo do Centro de Memória Bunge, criado em 1994. Todo acervo está disponível para consulta e visitação, após o fim do isolamento, mediante agendamento.

Sobre a Fundação Bunge
A Fundação Bunge, entidade social da Bunge no Brasil, há mais de 60 anos atua em diferentes frentes com o compromisso de valorizar pessoas e somar talentos para construir novos caminhos. Suas ações estabelecem uma relação entre passado, presente e futuro e são colocadas em práticas por meio da preservação da memória empresarial (Centro de Memória Bunge), do incentivo à leitura (Semear Leitores), do voluntariado corporativo (Comunidade Educativa), do desenvolvimento territorial sustentável (Comunidade Integrada) e do incentivo às ciências, letras e artes (Prêmio Fundação Bunge).

maxwelladmin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *