Olivia Munn, de X-Men Apocalipse, estrela Aleppo, próximo filme de David Schurmann

Olivia Munn, de X-Men Apocalipse, estrela Aleppo, próximo filme de David Schurmann

A atriz norte-americana Olivia Munn, a Psylocke de X-Men Apocalipse, é a estrela de Aleppo, próximo filme do diretor brasileiro David Schurmann. “Estou feliz por Olivia aceitar ser a protagonista, uma jornalista que está em fuga junto com um menino refugiado no meio do conflito em Aleppo na Síria. Sua personagem é forte e dinâmica, o que fez a atriz se apaixonar pelo projeto”, comemora o cineasta. O longa tem produção de Andre L III, que trabalhou em filmes como Ilha do Medo com Leonardo DiCaprio e 300 com Gerard Buttler e hoje é CEO da MiLu Entertainment, sediada em Los Angeles.

Além do diretor, outros dois brasileiros estão nesta produção internacional. Beto Dantas, o autor do roteiro original, sediado em Los Angeles, e Antonio Pinto, indicado ao Globo de Ouro por Despedida, que volta a assinar a trilha de um filme de David Schurmann. Vale destacar que o cineasta repete também a parceria de sucesso com a diretora de arte Brigitte Broch, vencedora de um Oscar de Direção de Arte por Moulin Rouge. Em fase de pré-produção, Aleppo avança na composição do elenco e equipe técnica. Por conta da pandemia, o início das filmagens deve acontecer no início de 2021 com externas a serem rodadas na Jordânia.

O próximo filme de David Schurmann tem Juan Bergaz of Bergaz Productions como produtora executiva. “A qualidade e repercussão de Pequeno Segredo durante campanha para vaga do Oscar acabou impressionando muitos da indústria em Hollywood e abriu algumas portas importantes. Aleppo é um filme delicado e emocionante. Para essa história, contamos com a colaboração e a consultoria de refugiados da Síria para entendermos as realidades do conflito e a vida no país, diz David. E completa: “Estou muito entusiasmado com esse e outros projetos que devem projetar ainda mais a nossa arte e os nossos talentos Brasileiros no cinema internacional”.

Um brasileiro do mundo– Ao completar 10 anos, David Schurmann partiu do Brasil com toda a família para dar a volta ao mundo a bordo de um veleiro. Aos 13 anos, ganhou uma câmera de vídeo 8mm e passou a documentar momentos marcantes da viagem. Aos 16, desembarcou na Nova Zelândia para estudar cinema e iniciar sua carreira atrás das câmeras. Logo após se graduar, em Auckland, David assumiu a direção do In Focus, programa jornalístico de variedades para jovens. Durante esse período, a atração se tornou campeã de audiência na Nova Zelândia e foi premiada nacional e internacionalmente.

Ainda no exterior, o cineasta também se dedicou a filmes curta metragens e programas especiais para televisão, dividindo seu tempo com a pré-produção da Magalhães Global Adventure, expedição desenvolvida por ele e seus pais. Em 1997, David retornou ao Brasil para dirigir e produzir o projeto que reconstituiu a rota traçada por Fernão de Magalhães e ganhou exibições mensais no programa Fantástico da Rede Globo. O material da expedição foi copilado e resultou também no documentário O Mundo em Duas Voltas, sucesso de público e crítica. O filme, que recebeu prêmios nacionais e internacionais, relata o trajeto navegado pela Família Schurmann pelos oceanos Pacífico, Índico e Atlântico ao longo de mais de 2 anos e meio.

Em 2010, David dirigiu e produziu um inovador projeto transmídia com objetivo de questionar as informações difundidas na internet. Essa iniciativa culminou no seu primeiro filme documentário-ficção: o longa de suspense/terror Desaparecidos. A produção narra, de forma “documental”, a história de seis jovens que, após uma festa no litoral paulista, se perdem na mata e vivenciam situações misteriosas e aterrorizantes.

Em 2016, como produtor e diretor, David lança o longa-metragem Pequeno Segredo, eleito para representar o Brasil na categoria de Melhor Filme Estrangeiro do Oscar 2017 e indicado em quatro categorias do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro –  Melhor Atriz (Julia Lemmertz no papel de Heloisa), Melhor Trilha Sonora (assinada por Antônio Pinto), Melhor Efeitos Visuais (trabalho liderado por Marcelo Siqueira e vencedor na premiação) e Melhor Diretor (David Schurmann). A produção que comoveu o Brasil é baseada em fatos reais, inspirados pela emocionante história de Kat Schurmann e suas relações familiares e afetivas.
Após o sucesso na tela grande, David lançou a série Expedição Oriente, exibida em toda a América Latina por meio do canal National Geographic, e algumas webséries que reforçam o perfil multiplataforma do cineasta. Atualmente, se dedica à finalização do documentário U-513 Em Busca do Lobo Solitário e ao desenvolvimento de seus próximos projetos audiovisual, incluindo filmes em parceria com produtores internacionais, entre eles, Aleppo.

maxwelladmin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *