MAM São Paulo anuncia programação do Educativo para abril

MAM São Paulo anuncia programação do Educativo para abril

Ao longo do mês, serão oferecidos encontros online de formação em arte e acessibilidade para professores, educadores e estudantes

Encontro virtual sobre Transtorno do Espectro Autista (TEA) com Adriana Godoy | foto Karina Bacci

O Museu de Arte Moderna de São Paulo apresenta ao longo de abril novas atividades educativas para famílias, professores, educadores e estudantes participarem virtualmente. Os encontros virtuais trabalham a intersecção das artes com eixos temáticos que fomentam uma produção cultural plural e diversa, com propostas que abarcam as culturas da infância, popular, de rua, gênero e etnias.

Destacam-se os encontros de formação em arte e acessibilidade que buscam desenvolver metodologias que valorizem a diversidade para serem aplicadas nos espaços em que os participantes trabalham ou vão trabalhar, tendo como fio condutor o conceito de que acessibilidade, para além de garantir acesso ao que já existe, é possibilitar a construção do mundo em que cada pessoa deseja viver.

A programação virtual inclui um encontro para refletir sobre o Dia mundial da conscientização sobre o autismo, uma conversa sobre a sobre a produção e circulação de prosas e poesia pelas mãos literárias de pessoas surdas, uma oficina virtual de criação de escrita em poesia em envelope/carta, um encontro para discutir o que é capacitismo, com histórias e vivências com Ivan Baron, conhecido como “influenciador da inclusão”, e um encontro com a pedagoga Fátima Freire, filha do pedagogo Paulo Freire, no Dia mundial da educação.

As atividades dos eixos arte e ecologia e marcenaria no MAM seguem contemplando encontros com artistas e oficinas de ateliê no virtual.

Confira a programação completa:

2 de abril, sexta-feira, às 10h
Dia mundial da conscientização sobre o autismo
Formação em arte e acessibilidade
Acessibilidade e Autismo: Inclusão social e o uso de Desenhos Roteirizados como ferramenta de acessibilidade, com Adriana Godoy
Encontro virtual no Zoom, para professores, educadores e estudantes. Com inscrição prévia, sendo 50% das vagas destinadas à rede pública de ensino.
Com intérpretes de Libras.
Link para inscrição: https://mamsaopaulo.byinti.com/#/ticket/eventInformation/gKBkTBTFn55s3pzcHTtB

O encontro virtual irá propor reflexões sobre a realidade de pessoas dentro do Transtorno do Espectro Autista (TEA), discutindo sua definição, questões particulares e o contexto histórico de segregação da população autista e suas famílias, na qual as metodologias reconhecidas como especializadas impactam na conquista da acessibilidade como ferramenta de inclusão social e pertencimento.

Adriana Godoy é musicista, cantora profissional e professora de canto. Mãe de dois jovens, um de 20 e outro de 18 anos, sendo o mais jovem autista de nível II (moderado). É ativista em inclusão e direitos da Pessoa Com Deficiência, com foco na causa autista, e idealizadora do site Autismo Projeto Integrar, dedicado à difusão do ensino inclusivo e produção de pistas visuais, denominado Desenhos Roteirizados, como ferramenta de acessibilidade. É vice-presidente da Associação Paulista de Autismo e colaboradora do Município de São Paulo, junto à Educação Municipal, Educação Estadual, Secretaria Municipal da Pessoa Com Deficiência e do GEDUC (Grupo de atuação em Educação do Ministério Público de São Paulo), em diálogos de implementação de políticas públicas e seus respectivos acompanhamentos.

6 de abril, terça-feira, às 17h
Formação em arte e acessibilidade
Atuação com jovens em situação de risco e elaboração de políticas afirmativas em programações culturais, com Barbara Jimenez
Encontro virtual no Zoom, para professores, educadores e estudantes. Com inscrição prévia, sendo 50% das vagas destinadas à rede pública de ensino.
Com intérpretes de Libras.
Link para inscrição: https://mamsaopaulo.byinti.com/#/ticket/eventInformation/br52ySzUq1w57CiQ73ci

O que é acesso à cultura? A partir do estudo de caso do premiado programa Domingo MAM (2013), neste encontro virtual serão apresentadas as estratégias institucionais artístico-pedagógicas responsáveis pela implementação de uma programação cultural de política afirmativa na grade do museu frente a um cenário de situação de risco e desrespeito aos direitos humanos. É no Domingo MAM que o museu e seus públicos desenvolvem juntos ações que pensam no direito à cidade e no incentivo à cultura de rua, a compreensão do ambiente da marquise como um espaço democrático de convivência e celebração da diversidade. A metodologia a ser abordada passará pelos tópicos de: diagnóstico, indicadores, elaboração, planejamento e avaliação, a fim de mensurar a transformação social alcançada.

Barbara Ganizev Jimenez é educadora com formação em História pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) com bacharelado e licenciatura. Pós-graduanda em Educação na Faculdade Rudolf Steiner. Desde 2012 atua como educadora no Museu de Arte Moderna de São Paulo, responsável pelo programa Domingo MAM, programa premiado que celebra a cultura popular brasileira, a cultura de rua, os direitos humanos e a diversidade. Atualmente lidera a área de cursos pagos do MAM SP, e mantém pesquisas em Educação e Antropologia.

7 de abril, quarta-feira, às 16h
Família mam
Câmara escura: como os olhos veem? Oficina virtual
Oficina virtual no Zoom, para crianças a partir de 6 anos, acompanhadas de seus responsáveis. Com inscrição prévia.
Para intérprete de Libras, solicitar pelo e-mail educativo@mam.org.br com até 48hs de antecedência.
Link para inscrições: https://mamsaopaulo.byinti.com/#/ticket/eventInformation/BFWDeF7F9po3dvnyw06F

A câmara escura foi uma das principais bases para a criação da fotografia. Ao longo dos séculos, foi feita de diferentes materiais, por exemplo: madeira, papelão, lata de alumínio e até mesmo cabaça de coco, como na obra Loading… (2003) de Miguel Chikaoka, um dos artistas que integra a exposição Clube de colecionadores de fotografia do mam – 20 anos. Nesta oficina virtual propomos a confecção de uma câmara escura para explorarmos a física presente neste dispositivo, sua relação com o nosso olhar e a fotografia.

Lista de materiais:
• Cartolina preta
• Papel alumínio
• Cola
• Tesoura
• Agulha
• Papel vegetal

7 de abril, quarta-feira
Programa de Visitação
Post de Experiência poética
Vídeo Corte e dobra
Instagram MAM

Neste vídeo de como fazer e faça você mesma/o, o mam educativo apresenta o passo a passo da experiência do Corte e dobra, um exercício plástico no campo da escultura muito utilizado por artistas como Franz Weissmann, Amílcar de Castro e José Rezende, no estudo da tridimensionalidade do corpo, da matéria e do objeto no espaço. Os três artistas têm obras expostas no Jardim de Esculturas do museu e esta é uma experiência muito utilizada pelo mam educativo nas visitas mediadas em exposições.

8 de abril, quinta-feira, às 16h
Contatos com a arte
Fotografia em verso e prosa: narrativas familiares, com Juliana Monteiro Carrascoza
Atividade virtual no Zoom, para professores, educadores e estudantes. Com inscrição prévia.
Para intérprete de Libras, solicitar pelo e-mail educativo@mam.org.br com até 48hs de antecedência.
Link para inscrições: https://mamsaopaulo.byinti.com/#/ticket/eventInformation/EKyEu_2jQnLHWPFJs8dq

Nesta atividade virtual, a partir de fotografias presentes na exposição Clube de colecionadores de fotografia do mam – 20 anos e de textos literários que permeiam o universo dos laços familiares, os participantes serão convidados a ampliar suas reflexões e seu olhar sobre a fotografia como linguagem artística, como texto e como processo de construção poética sobre as relações cotidianas.

Juliana Monteiro Carrascoza nasceu no Rio de Janeiro e vive em São Paulo, onde cursou Letras e, desde então, trabalha com as palavras, em salas de aula. Como fotógrafa, lançou o livro Catálogo de Perdas, em 2017, em co-autoria com o escritor João Anzanello Carrascoza, composto por 40 fotografias e 40 contos. Essa obra foi selecionada pelo Festival ZUM, finalista do prêmio Jabuti e vencedora do prêmio FNLIJ nas categorias leitor adulto e projeto editorial. Publicou, em edições independentes, Pandora (2020) e Aprendiz (2021).

9 de abril sexta-feira, às 16h
Domingo mam
O que é o capacitismo? Histórias e vivências, com Ivan Baron
Encontro virtual no Zoom, livre. Com inscrição prévia.
Com intérpretes de Libras.
Link para inscrições: https://mamsaopaulo.byinti.com/#/ticket/eventInformation/QwVZ2lcJhQK7ZnKMqzY_

Neste encontro virtual sobre capacitismo, Ivan Baron nos convida a escutarmos suas histórias e vivências como pessoa com paralisia cerebral, contando-as com humor e refletindo sobre seu trabalho na desconstrução de atitudes capacitistas em nossa sociedade.

Ivan Baron, potiguar de 23 anos, é estudante de pedagogia e conhecido nas redes sociais como “influenciador da inclusão”. Por último, mas não menos importante, é uma pessoa com paralisia cerebral.

13 de abril, terça-feira, às 16h
Programa de Visitação
Visita virtual inspirada na exposição Antonio Dias: derrotas e vitórias
Atividade virtual no Zoom, aberta ao público. Com inscrição prévia.
Para intérprete de Libras, solicitar pelo e-mail educativo@mam.org.br com até 48hs de antecedência.
Link para inscrição: https://mamsaopaulo.byinti.com/#/ticket/eventInformation/7xoI1V8kNUAm5MXRI1Ia

Visita virtual inspirada na exposição Antonio Dias: derrotas e vitórias, para conhecer o artista brasileiro contemporâneo Antonio Dias a partir da coleção de suas obras formada por ele mesmo ao longo de sua vida, permeando as diferentes fases do seu trabalho.

14 de abril, quarta-feira, às 17h
Domingo mam
Envelocontos: oficina virtual de criação de escrita, com Lucas Lins e Danilo Lago
Oficina virtual no Zoom, livre. Com inscrição prévia. Vagas limitadas!
Para intérprete de Libras, solicitar pelo e-mail educativo@mam.org.br com até 48hs de antecedência.
Link para inscrição: https://mamsaopaulo.byinti.com/#/ticket/eventInformation/G5harCXVM7On3DRpRYaC

O poeta Lucas Lins e o folhetinista Danilo Lago oferecem a oficina virtual de criação de escrita Envelocontos, cuja proposta é estimular a escrita em poesia e a exploração de sentidos entre o objeto envelope/carta e suas possibilidades de relação com a palavra, o gesto e os significados de troca, intimidade e memória: percursos relacionados a rua, entrega, trajeto, extravio e não correspondência. Entre exercícios e análises dos resultados, serão apresentadas referências da poesia, poesia visual, arte postal, entre outras, que auxiliarão na criação de um repertório comum.

Lucas Lins reside na Cidade Tiradentes, zona leste de São Paulo, e é autor dos livros “Remando Contra a Maré” (2016) e “Declínio & Esplendor da Bicicleta” (2018). Foi Residente Literário da FLIM 2019. Em 2020 produziu a série de poemas sobre a quarentena intitulada “Poesia Para Matar o Corona”, trabalho com destaque no Jornal Estado de São Paulo, Revista Select e publicado na revista mexicana Bitácora del Encierro.

Danilo Lago reside em Guaianases, zona leste de São Paulo, é formado em Teologia e é autor dos folhetos “Crônicas Cinzentas” (2015), “Saudade tem gosto de pedra” (2017) e “Oitenta e oito motivos pra continuar caindo” (2020).

15 de abril, quinta-feira, às 16h
Dia da conservação do solo e Dia mundial da arte
Família mam + arte e ecologia
A morada de joão-de-barro, oficina virtual de escultura
Oficina virtual no Zoom, para crianças a partir de 3 anos, acompanhadas de seus responsáveis. Com inscrição prévia.
Para intérprete de Libras, solicitar pelo e-mail educativo@mam.org.br com até 48hs de antecedência.
Link para inscrição: https://mamsaopaulo.byinti.com/#/ticket/eventInformation/Q-fRX8BFNmkZMaZIMCtH

Entre as moradias construídas a partir do barro, existem pequenas casinhas que podemos encontrar em árvores e até mesmo em postes de luz. São casas construídas por joão-de-barro, um pássaro que possui fama de construtor. Desde setembro de 2020, o artista Thiago Honório ocupa o corredor de passagem entre as salas expositivas do mam com uma instalação que revestiu as paredes do museu com barro e galhos de árvores colhidos no Parque Ibirapuera, aludindo às técnicas de construção de pau-a-pique e taipa de mão. A obra nos convida a refletir sobre os lugares em que habitamos e se neles há espaço para a terra, o barro e outras formas de conexão com a natureza.

Esta oficina virtual é um convite para construir nossa morada como passarinhos. Vamos juntar uma porção de barro e construir uma casinha, como as de joão-de-barro, ou as que inspiraram o Projeto Parede de Thiago.

Materiais:
• Terra ou argila
• Água
• Palha
• Folhas secas
• Galhos de árvores

20 de abril, terça-feira, às 16h
Contatos com a arte + marcenaria no MAM
Madeira sobre madeira, encontro virtual com a artista Elisa Bracher
Encontro virtual no Zoom, para professores, educadores e estudantes. Com inscrição prévia.
Para intérprete de Libras, solicitar pelo e-mail educativo@mam.org.br com até 48hs de antecedência.
Link para inscrição: https://mamsaopaulo.byinti.com/#/ticket/eventInformation/qBEbTJ8YQhM7_aMK47y1

Neste encontro virtual da série Marcenaria no mam, a artista Elisa Bracher, que possui gravuras no acervo do mam e uma de suas esculturas exposta no Jardim de Esculturas, conversa sobre o seu processo de criação de esculturas monumentais realizadas com o emprego de troncos de madeira e o auxílio de uma equipe de marceneiros. Ela também fala sobre o seu processo com a gravura e a relação entre práticas que alimenta o seu trabalho, como sobre a atuação do Instituto Acaia, uma organização social sem fins lucrativos que nasceu no ateliê da artista, quando recebia crianças das favelas do entorno para atividades artísticas.

Elisa Bracher (São Paulo, 1965), conhecida por suas grandes esculturas de madeira em espaços públicos, como o Jardim de Esculturas do mam, possui uma produção artística que permeia quatro meios distintos – desenho, gravura, escultura e fotografia, interligados em sua poética. Se formou em artes plásticas na Fundação Armando Álvares Penteado (1989), complementando os estudos com um curso de gravura em metal com Evandro Carlos Jardim. No início dos anos 1990, envereda pelo campo da escultura e passa a experimentar a arte com diversos materiais, em especial a madeira. Em 2009, a artista toma partido da condição plástica dos materiais, característica percebida com clareza em seu trabalho realizado em adobe (taipa de pilão) e empregada, pela primeira vez, na exposição Experimentando Espaços, no Museu da Casa Brasileira. Elisa é fundadora e diretora do Instituto Acaia, uma organização não governamental criada em 1997, que recebe crianças e adolescentes de 4 a 18 anos, moradores dos arredores do CEAGESP, participantes de diversas oficinas.

21 de abril, quarta-feira, às 16h
Domingo mam
Costura de memórias: oficina virtual de foto bordado, com Amanda Falcão
Oficina virtual no Zoom, livre. Com inscrição prévia. Não é necessário conhecimento prévio em bordado.
Para intérprete de Libras, solicitar pelo e-mail educativo@mam.org.br com até 48hs de antecedência.
Link para inscrição: https://mamsaopaulo.byinti.com/#/ticket/eventInformation/LKuhOxBi-7QaxDG8x4gW

Inspirada na exposição Clube dos colecionadores de fotografia do mam – 20 anos, esta oficina virtual propõe um espaço de troca e reflexão sobre duas linguagens que costuram a memória de diferentes gerações, assim como ganham novos usos e significados com o passar do tempo.

Lista de materiais:
• Fotografia revelada/impressa ou recortes de revistas
• Linhas de costura ou meada
• Agulha compatível
• Lápis
• Borracha
• Tesoura

Amanda Harumi Falcão é artista visual e arte educadora, formada em bacharelado de Artes Visuais e licenciando Artes no Centro Universitário Belas Artes de São Paulo. Já atuou em educativos de instituições culturais como Sesc Pompeia e Sesc 24 de Maio, e atualmente faz parte do educativo do MAM São Paulo. Em suas pesquisas, busca costurar a relação entre memória e o fazer artesanal, como também investigar os processos sutis e interdisciplinares na mediação cultural e arte educação.

22 de abril, quinta-feira, às 16h
Dia da Terra
Família mam + arte e ecologia
Poética da Terra: oficina virtual de tintas naturais, com Denise Valarini
Oficina virtual no Zoom, para crianças a partir de 7 anos, acompanhadas de seus responsáveis. Com inscrição prévia.
Para intérprete de Libras, solicitar pelo e-mail educativo@mam.org.br com até 48hs de antecedência.
Link para inscrição: https://mamsaopaulo.byinti.com/#/ticket/eventInformation/luJ3yqWSo4M77I1o0OjF

Caminhar, coletar e criar tintas naturais para experimentações artísticas nos possibilitam profundas conexões com a natureza, uma vez que esta nos oferece matéria prima abundante para produção de tintas e de outros materiais. O objetivo desta oficina virtual é, a partir da produção de tintas por meio dos pigmentos minerais e vegetais, aproximarmo-nos da terra, ampliando nossas experiências com o mundo natural e com a natureza que somos.

Lista de materiais:
• 2 colheres de sopa de cúrcuma
• 200 ml de álcool 70° líquido (pode ser também o 92° ou 46°)
• 1 colher
• 1 pote com tampa
• 3 filtros de café
• 3 colheres de sopa de Bicarbonato
• 1 limão
• 1 repolho roxo
• Coletar pelo menos duas ou mais amostras de terra (aproximadamente 200 gramas para cada cor)
• Um pote com tampa, para cada amostra de terra coletada
• 1 Espátula
• 100 ml de óleo de linhaça ou óleo de nozes
• 1 peneira pequena
• 1 pincel
• Folhas de papel para pintura
• água

Denise Valarini é artista visual e educadora. Graduada em Artes Visuais (PUC-Campinas), mestra em Artes (Unicamp). É fundadora do projeto Poética do Habitar e professora universitária no curso de Pedagogia.

23 de abril, sexta-feira, às 16h
Dia Nacional do Livro
Formação em arte e acessibilidade
Literatura Surda e Projeto Arte de Sinalizar, com Cláudio Mourão
Encontro virtual no Zoom, para professores, educadores e estudantes. Com inscrição prévia, sendo 50% das vagas destinadas à rede pública de ensino.
Com intérpretes de Libras.
Link para inscrição: https://mamsaopaulo.byinti.com/#/ticket/eventInformation/CiwMJ2Ph_pVbmdUPOD8N

Neste encontro virtual, o poeta, artista e doutor em educação Cláudio Mourão conversa sobre a produção e circulação de prosas e poesia pelas mãos literárias de pessoas surdas, que transformam e geram valores culturais, se vinculando à tradição da Literatura Surda.

Cláudio Mourão é poeta, artista, graduado em Letras/Libras pela Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC e doutor em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS. Foi diretor de Educação e Cultura na Sociedade dos Surdos do Rio Grande do Sul – SSRS (2018-2019). É autor dos seguintes livros de Literatura Surda-Infantil: As Luvas Mágicas do Papai Noel, com co-autoria de Alessandra Klein (2012); e A Fábula da Arca de Noé (2013). Ganhador da premiação Arte como Respiro: Múltiplos Editais de Emergência – Poesia Surda, no Itaú Cultural (2020). Atualmente é pesquisador do Grupo Interinstitucional de Pesquisa em Educação de Surdos-GIPES, professor Adjunto no Instituto de Letras, Departamento de Línguas Modernas, no Curso de Letras e coordenador do projeto Arte de Sinalizar – UFRGS, desenvolvendo pesquisas no campo de Literatura Surda.

27 de abril, terça-feira, às 16h
Programa de Visitação
Visita virtual inspirada na exposição Clube de colecionadores de fotografia do mam – 20 anos
Atividade virtual no Zoom, aberta ao público. Com inscrição prévia.
Para intérprete de Libras, solicitar pelo e-mail educativo@mam.org.br com até 48hs de antecedência.
Link para inscrição: https://mamsaopaulo.byinti.com/#/ticket/eventInformation/Y79wph-ukfsKU6TZY5JU

Percurso virtual pela exposição Clube de colecionadores de fotografia do mam – 20 anos, abordando a experiência de um clube de colecionadores e a fotografia como linguagem artística.

28 de abril, quarta-feira, às 16h
Dia Mundial da Educação
Contatos com a arte
Quem educa marca o corpo do outro, encontro virtual com Fátima Freire
Encontro virtual no Zoom, para professores, educadores e estudantes. Com inscrição prévia.
Para intérprete de Libras, solicitar pelo e-mail educativo@mam.org.br com até 48hs de antecedência.
Link para inscrição: https://mamsaopaulo.byinti.com/#/ticket/eventInformation/xSwAmPIAL8v_gd3WWFbs

Educação como emoção, sentimento, paixão, generosidade, apego e desapego, o lugar do coração. Partindo do que nomeia como pedagogia da subjetividade, a pedagoga Fátima Freire, autora do livro Quem educa marca o corpo do outro, nos conduz em um encontro virtual, no Dia Mundial da Educação, à prática da reflexão sobre o nosso agir ao pensar, o que buscamos na área da educação, as marcas de vida que estão no nosso corpo, e enquanto educadores devemos ressignificá-las, e que caminhos podemos construir atuando com crianças.

Fátima Freire Dowbor é formada em Pedagogia pela PUC -SP, graduada em Filosofia pela Universidade de Coimbra, em Línguas Romanas, pela Universidade de Varsóvia e em Psicopedagogia, pelo Instituto Jaques Rousseau. Já atuou como educadora em diversos países e atualmente presta assessoria pedagógica a diversas instituições, além de integrar o conselho do Instituto Paulo Freire.

29 de abril, quinta -feira, às 16h
Família mam
Oficina virtual de esculturas
Oficina virtual no Zoom, para crianças a partir de 6 anos, acompanhadas dos seus responsáveis. Com inscrição prévia.
Para intérprete de Libras, solicitar pelo e-mail educativo@mam.org.br com até 48hs de antecedência.

maxwelladmin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *