Paraisópolis é destaque no Estação Livre desta sexta-feira (16/4)

Paraisópolis é destaque no Estação Livre desta sexta-feira (16/4)

NOVO PROGRAMA DA TV CULTURA FALA DAS MANIFESTAÇÕES CULTURAIS NA COMUNIDADE, DA GESTÃO DE COVID-19, DA PRÁTICA DO RUGBY E DO BAILE DA DZ7

Nesta sexta-feira (16/4), o Estação Livre coloca em pauta Paraisópolis, a segunda maior favela da cidade de São Paulo. Na edição, as manifestações culturais na comunidade, a gestão de Covid-19, a prática do rugby e o massacre no Baile da DZ7. Com apresentação de Cris Guterres, o novo programa da TV Cultura vai ao ar às 22h.

Estação Livre também recebe Elizandra Cerqueiraempreendedora social e fundadora da Mãos de Maria Brasil – negócio de impacto social que tem a missão de dar autonomia econômica para as mulheres periféricas, e Kelly Silvamãe preta periférica que atua há 19 anos em projeto de geração de renda, em especial com mulheres em situação de vulnerabilidade.

A reportagem do programa vai até Paraisópolis para entender como está a situação da comunidade neste segundo momento de pandemia. A favela, pertencente ao distrito de Vila Andrade, na zona sul paulistana, é exemplo positivo da gestão da Covid-19.

Mostrando também outra realidade local, o programa fala sobre o massacre no Baile da DZ7, tradicional baile funk que reúne milhares de pessoas na comunidade. Na madrugada de 1º de dezembro de 2019, nove jovens, entre 14 e 23 anos, morreram pisoteados após a Polícia Militar entrar no local.

O programa finaliza a edição apresentando as diferentes manifestações culturais dentro de Paraisópolis: ballet, orquestra, batalha de MC’s e projeto Geração Portela, que promove a educação através da música. Além disso, mostra a prática do rugby, esporte que é visto como elitizado, mas que forma campeões na comunidade.

maxwelladmin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *